Vamos conversar sobre sua insatisfação profissional?

Fonte de imagem: FreePik

Pesquisa, realizada em 2017 pelo especialista Fredy Mercury aponta que 36,52% dos profissionais estão infelizes com o trabalho que realizam e 64,24% gostariam de fazer algo diferente do que fazem hoje para serem mais felizes. Esse estudo revela uma realidade preocupante hoje no mercado de trabalho e algo precisa ser feito para mudar esse cenário.

A partir da pesquisa citada você está dentro da porcentagem que está infeliz ou entre aqueles que gostariam de fazer algo diferente? A sua resposta fará diferença ao ler esse texto.

Existem 02 tipos de profissionais e vou focar em explicá-los com muita objetividade quem são eles, vamos lá!

1º PROFISSIONAL – Aquele que está infeliz com seu local de trabalho, com seu salário, com sua liderança, com a falta de crescimento profissional e sua insatisfação pode impactar diretamente seus relacionamentos sociais.

Você pode estar se perguntando ” Como minha insatisfação profissional impacta nos meus relacionamentos sociais?”

Vou explicar – Se você está em um trabalho que consome seu tempo, até mesmo em casa, posso afirmar que seu relacionamento tem sido impactado, seja com seus filhos, esposa, marido, pais ou irmãos. Ao invés de estar em comunhão com sua família, seu trabalho exige que esteja respondendo mensagens a todo momento. Ou quando chega em casa você está exausto, sem forças e irritado a ponto de isolar-se do meio relacional e com isso seus relacionamentos estão esfriando, você não tem tido paciência e a comunicação passou a ser agressiva pois a insatisfação profissional tem adentrado nos seus vínculos sociais.

Sinais de insatisfação profissional:

  • Sente-se indisposto para sair da cama quando o despertador toca, e já pensa como ir ao local de trabalho é ruim
  • Quando chega ao trabalho já quer ir embora e pensa ” O que eu estou fazendo aqui?”
  • Não está motivado a propor novas ideias e faz somente o pedido sem engajamento
  • Pensa em sair do trabalho mais tem medo do novo e com isso escolhe permanecer insatisfeito, geralmente o seu pensamento é:
  • ” Estou ganhando pouco mais é garantido no final do mês”
  • ” Meu chefe é ruim mais já estou adaptado a ele”
  • ” O mercado lá fora está ruim foi ficar por aqui por mais um tempo…”

Deixo uma reflexão:

  1. Quando será o momento para você buscar FELICIDADE na sua vida profissional?
  2. Tem valido a pena empurrar com a barriga algo que poderia ser um diferencial na sua vida?

2º PROFISSIONAL – Aquele que está insatisfeito mas já percebeu que o sucesso da sua carreira está ligado diretamente a sua postura de crescimento e não mais as instituições empregadoras. Que por mais que esteja infeliz, não parou de investir em desenvolvimento pois acredita que conhecimento é o único caminho para alcançar seus objetivos profissionais.

Então você pode pensar ” Porque ele ainda está nesse lugar de insatisfação e não busca algo melhor?”

Responderei: Ele sabe que aquele não é o seu lugar, mas ao invés de reclamar, resolveu aproveitar sua renda para prepara-se junto ao mercado de trabalho. Ele já entendeu que é responsabilidade dele buscar algo melhor, então sua força motivacional vem da insatisfação.

Você consegue entender os 02 perfis de profissionais? Existe aquele que só reclama colocando desculpas em sua falta de ação permitindo que a empresa conduza sua vida profissional assim se abstém da responsabilidade de guiar seu trajeto profissional e existe aquele que sabe que existe uma insatisfação e faz um movimento assumindo a AUTORRESPONSABILIDADE de traçar planos para sua carreira.

Eu já estive nesses 02 lugares, acredite! O primeiro não me fez sair do lugar e pelo contrário o muro das lamentações só aumentava e dia após dia me sentia mais infeliz. Até que eu percebi que a gestão da minha carreira era responsabilidade minha e a insatisfação foi a base para o meu planejamento profissional.

Vou te contar o que eu fiz para mudar minha vida profissional!

  1. Parei de reclamar
  2. Comecei a fazer um trabalho de excelência apesar da insatisfação
  3. Busquei cursos de especialização e formação
  4. Ampliei meu networking em cada curso que fiz
  5. Me afastei de pessoas negativas, pessimistas e estagnadas profissionalmente
  6. Fiz laços de amizades com profissionais que incentivavam o meu desenvolvimento
  7. Busquei ajuda de mentores
  8. Participei de Mentoria de Carreira
  9. Tracei planos com foco em ação
  10. Agi com estratégia
  11. Assumi a responsabilidade sobre o meu sucesso profissional
  12. Continuo até hoje a estudar
  13. Não paro de avançar
  14. Tenho objetivos traçados, anotados e a minha visão, sempre
  15. Entendi que o sentido de AUTORRESPONSABILIDADE na prática

Eu convido você a pensar : De quem é a culpa pela sua insatisfação profissional?

Acompanhe meu Instagram https://www.instagram.com/psico_carreira/ todos os dias conteúdo para a sua CARREIRA

Esse artigo te ajudou? Deixe o seu comentário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *